Endereços das unidades Agonn Academia
Unidade Agonn 1

AGONN 1
Rua Jorge Tibiriçá, 9 - Santos/SP
Tel. 13 3284 1270

saiba mais Unidade Agonn 1 - Rua Jorge Tibiriçá, 9 - Santos - SP

Unidade Agonn 2 - Av. Bernardino de Campos, 355 - Santos - SP

AGONN 2
Av. Bernardino de Campos, 355 - Santos - SP
Tel. 13 3385 0355

saiba mais Unidade Agonn 2 - Av. Bernardino de Campos, 355 - Santos - SP

Unidade Agonn 3 - Rua Alexandre Martins, 173 - Santos - SP

AGONN 3
Rua Alexandre Martins, 173 - Santos/SP
Tel. 13 3307 0853

saiba mais Unidade Agonn 3 - Rua Alexandre Martins, 173 - Santos - SP

Unidade Agonn 4 - Avenida Presidente Wilson, 456 - São Vicente - SP

AGONN 4
Av. Pres. Wilson, 456 - São Vicente - SP
Tel. 13 3356 4456

saiba mais Unidade Agonn 4 - Avenida Presidente Wilson, 456 - São Vicente - SP

Unidade Agonn 5 - Avenida Ademar de Barros, 1585 - Guarujá - SP

AGONN 5
Av. Ademar de Barros, 1585 - Guarujá - SP
Tel. 13 3329-2856

saiba mais Unidade Agonn 5 - Unidade Agonn 5 - Avenida Ademar de Barros, 1585 - Guarujá - SP

Dicas de saúde, qualidade de vida e bem-estar por profissionais da Agonn Academia
Em cada unidade um plano que cabe no seu bolso.
Natação
refeições
veja mais dicas

Glutamina: suplementação inteligente

Glutamina: suplementação inteligente

Glutamina: suplementação inteligente

Glutamina: suplementação inteligente

A glutamina é o aminoácido mais abundante do nosso plasma sangüíneo. É um aminoácido classificado como ?condicionalmente essencial?, visto que em normais circunstâncias, o próprio organismo pode sintetizá-lo por meio da desaminação e transaminação de outros aminoácidos, especialmente os de cadeia ramificada (BCAAs). Mas em situações de stress, tal como exercício físico intenso, o organismo não consegue suprir as demandas por este aminoácido.

A glutamina é essencial para o crescimento e diferenciação celular. Está envolvida tanto em funções anabólicas quanto catabólicas em diversos tecidos do corpo. Possui importante papel na regulação do balanço ácido básico do organismo, auxiliando na excreção de ácido úrico pelos rins, evitando um estado de acidose. Ou seja, nosso organismo é altamente dependente desse aminoácido.

Observa-se que com o treinamento intenso e/ou prolongado, os níveis de glutamina plasmática reduzem drasticamente, podendo ficar até 50% menores, aumentando a susceptibilidade a lesões e processos inflamatórios, um pesadelo para quem objetiva ganhos musculares. Além disso, com esse decréscimo na glutamina plasmática, a susceptibilidade a infecções do trato respiratório é muito maior, principalmente em atletas com overtraining, pois o sistema imunológico é altamente dependente desse aminoácido.

Tem sido demonstrado que a concentração intramuscular de glutamina é importante para o processo de síntese protéica e de glicogênio, ocasionando uma maior disponibilidade energética para os processos anabólicos. Ocorre um aumento da hidratação celular promovida pela entrada da glutamina na célula, servindo como um estímulo para a síntese e/ou inibição da degradação protéica e do glicogênio muscular, criando as condições ideais para o crescimento muscular.

A suplementação com glutamina tem sido utilizada para reduzir o intenso catabolismo muscular. Este ocorre quando elevados níveis de glutamina deixam o músculo, desidratando as células. A suplementação poupa o tecido muscular que seria catabolizado para prover glutamina para outras células do corpo, permitindo assim que o tecido muscular use glutamina para sintetizar tecido muscular novo, resultando em maior hipertrofia. A glutamina também estimula a síntese de hormônio do crescimento, além de reduzir a ação catabólica do hormônio cortisol. Em períodos de restrição calórica, a suplementação com esse aminoácido é muito interessante, porque pode auxiliar na manutenção da massa magra.

A dosagem efetiva de glutamina deve ficar em torno de 10 gramas ao dia, administrada preferencialmente, logo após um treino intenso, com solução de glicose para otimizar a absorção. Dosagem inferior demonstra ser menos efetiva, tendo em vista que cerca de 50 - 85 % da dosagem não deve alcançar o músculo, sendo utilizada pelas células intestinais como fonte energética. Enriquecer a última refeição do dia com esse aminoácido também pode ser uma boa estratégia.


Agonn Academia 2013 | @lucoliveira